Aquele que procura a verdade corre o risco de a encontrar
Sábado, 25 de Abril de 2009
35 anos de revolução dos cravos, será que a democracia tarda em chegar a Alenquer...

A política em Alenquer precisa urgentemente de uma intervenção cirúrgica, pois não podemos continuar a viver num marasmo político sem qualidade governativa.
Acredito piamente que com uma estratégia em que se incluam todos os cidadão e se destine a todos, será esta a única forma de promover o desenvolvimento sustentável do nosso concelho e será de certeza a única forma de promover o bem estar social e a qualidade de vida para quem reside em Alenquer, para que isso aconteça é necessário e urgente que os políticos de Alenquer, saiam a rua e discutam abertamente as suas ideias com a sociedade civil.

Como jovem, elejo como principal barreira a ultrapassar a noção que devemos ter da política, não num sentido formal, mas de uma forma natural que surja de uma participação da sociedade na política através de uma simples troca de ideias entre pessoas sobre determinado assunto, é para isso que existe a democracia e é por isso que vamos comemos hoje o 25 de Abril. O ideal seria ver as pessoas de Alenquer a mostrarem-se inconformadas com o actual cenário, criado pela desgovernação dos socialistas de Alenquer nas últimas três décadas e meia, que aproveitassem de verdade o acto eleitoral que se advinha para mostrar o seu descontentamento.

O ideal seria a sociedade civil fazer parte da resolução dos problemas existentes no nosso concelho, obrigar os eleitos autárquicos, a cumprirem as suas promessas, a trabalhar lado a lado com a oposição, num caminho de evolução para o desenvolvimento e para uma verdadeira democracia. Mostrarem preocupados com baixíssimo, nível intelectual de alguns dos nossos políticos e com a ligeireza com que por vezes são tomadas decisões sem a consulta prévia de quem os elegeu, quer nas assembleias de freguesia, quer na Câmara.

Com o 25 de Abril, abriu-se a porta a exigência, de que os políticos sejam sérios, e não apenas que assim pareçam, temos de exigir mais qualidade no trabalho e nas decisões daqueles que são eleitos e pagos, por todos nós, para resover os problemas que nos afectam, sem favores, nem por favor, pois politica em democracia é trabalhar em pró da comunidade que os elegeu. Continua a questionar me muitas vezes, se a classe política instalada em Alenquer a mais de três décadas, é capaz de dar resposta ás legitimas expectativas da população do nosso concelho?

Não por favor, mas porque é a sua obrigação, pois é para que possamos exigir dos políticos uma sociedade melhor, que aconteceu o 25 de Abril de 1974
 



publicado por Carlos José Ferreira às 10:03
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 23 de Abril de 2009
Alenquer 2009....o que se pode esperar das autárquicas e dos nossos políticos

Com a campanha autárquica a caminhar a passos largos para o seu início, espero sinceramente, que os novos candidatos de Alenquer, tenham para o nosso concelho uma visão clara de que a democracia no poder local é possível e desejável. Que seja possivel  identificar nos, com os programas que seram apresentados e que o debate de ideias para o desenvolvimento de nosso concelho aconteça de forma sóbria. 

Que se promova a discussão séria e que se chame os cidadão anónimos para essa discussão autónoma, para que mais ideias e soluções possam levar a bom porto uma politica comunitária de desenvolvimento, com a participação e responsabilização de todos.

É fundamental que o poder instituído e a oposição, surjam com programas para os próximos quatro anos em que a justiça social seja um ponto fundamental na discussão ainda para mais num concelho em que os números do desemprego não param de aumentar e num concelho em que caso metade da população não tem medico de família, neste sentido a justiça social e a igualdade devera ser um ponto a defender pelos políticos de Alenquer.

Para traz deveram ficar os maus exemplos do passado é exigido aos nossos autarcas que encontrem junto com a sociedade civil, e mesmo religiosa soluções para os nosso problemas sociais, caso contrario, podemos estar a crias mais pobreza e alimentar a tendência de “guetização" de algumas comunidades.

Alenquer ainda hoje tem bons exemplos de pessoas empreendedoras, que se unam esforços com esses homens e mulheres para levar mais longe o sentido de responsabilidade democrática.

Alenquer, continua a sentir falta de vários equipamentos sócias, quer para idosos, quer para jovens e mais ainda para crianças, que se promovam mais acordos com instituições particulares de solidariedade social, ou com a igreja local para que se criem novos espaço, para berçários, infantários, lares, espaços de formação, ou mesmo tempo estariam a incentivar a criação de emprego.

Alenquer necessita de mais e de melhor, necessita que os políticos nestes tempos de crise, atirem para traz das costas as quezílias partidárias e trabalhem em prol da comunidade.

É por isso necessário que se apresentem as urnas as pessoas mais capazes de cada força politica e não com os parasitas habituais que procuram um trampolim para outros voos, ou que andam a traz de tacho


 



publicado por Carlos José Ferreira às 22:17
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 22 de Abril de 2009
É preciso mais para Alenquer...Que venha a verdadeira mudança

Alenquer é um dos concelhos do distrito de Lisboa, com características excepcionais para o desenvolvimento e modernização: com uma localização e um clima de eleição, respira História e tradição. 

É um concelho com passado, de cá saíram grandes homens com feitos únicos na história mundial e que muito deram ao nosso pais e que muito contribuíram para o que somos hoje a nível de conhecimento.

Com um presente difícil, desenhado pela incompetência de quem nos governa a mais de trinta anos, que anseia por um futuro à sua altura, depois de anos de decisões adiadas e de outras trapalhadas, de sido roubado o sonho de um grande empreendimento no nosso concelho, ao ser desviado para a outra margem o futuro aeroporto de Lisboa.

O espectro da crise financeira, com falências e encerramento de pequenas e grandes empresas do nosso concelho, com lay-off´s e outras coisas tais, que tem feito crescer o desemprego em Alenquer. A crise civilizacional também se abate sobre o nosso concelho e muito pelo País fora, mesmo pela Europa e muito mesmo pelo Mundo, continuamos a actuar como um pais terceiro mundista, sem qualquer respeito pelo ambiente é habitual vermos pelo nosso concelho, sem qualquer fiscalização o despejo de resíduos indiscriminadamente a construção de aterros ilegais a falta de civismo e desrespeito pelas mais elementares regras de salubridade.

Em Alenquer e nos principais centros urbanos do nosso concelho, continuamos a assistir a ruas sujas, manifestamente devido a falta de limpeza e a falta de civismo, continuamos a encontra contentores do lixo a transbordar e não será raro verificarmos grandes concentrações de lixo a sua volta.

Gostava de perceber e de saber a opinião dos nossos representantes locais, se tem consciência de que modo se vai produzindo e evoluído a crise em Alenquer? Que ameaças traz, para o nosso tecido empresarial e por consequência para os nossos trabalhadores, tem existido a preocupação de se reunir, com os empresários, com os representantes dos trabalhadores, o que tem sido feito em prole do numero crescente de desempregados? Neste ano de eleições e de que se advinham mudanças em Alenquer, gostava também de saber de parte dos nossos candidatos a representantes nas eleições autarcas, qual a estratégia para resistir à esta crise e como superá-la, sei que a pergunta é bem difícil de responder;

Mas pelo menos que nos digam o que pretendem fazer para trazer novos investimentos e renovar o tecido industrial do nosso concelho?
Que incentivos estão disposto a criar para a instalação de novas empresas em Alenquer, e que condições oferecem para manutenção das que ainda por cá existem?

Que apoios estão pensados para os quase 2 milhares de desempregados do nosso concelho, caso os nosso políticos não saibam ainda, creio que a boa maioria desses desempregados , preferiam estar a trabalhar, nem que fosse em obras sociais ou de solidariedade social, do que estarem em casa a receber a prestação de desemprego, mesmo que recebessem o mesmo, ao menos que tivessem a oportunidade de receber formação, esse tipo de iniciativas também tem de partir do poder local...
 



publicado por Carlos José Ferreira às 22:25
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 21 de Abril de 2009
Matutano vai reflorestar Serra do Montejunto

 

A Área Protegida da Serra do Montejunto, afectada pelos incêndios ocorridos no Verão de 2003, vai ser reflorestada nos próximos três anos por uma empresa multinacional, que vai plantar 5600 novas árvores.
No âmbito de um protocolo assinado com a câmara de Alenquer, a Matutano vai fazer a reflorestação da serra com 5600 árvores plantadas ao longo de três anos, envolvendo custos de cerca de 30 mil euros”, anunciou o vice-presidente da autarquia, Jorge Riso.
 
 
 
A limpeza e reflorestação vão ocorrer numa área de 20 hectares, conhecida como a “Mata do Lameiro”.
A multinacional com fábrica no Carregado, concelho de Alenquer, considera que se trata de uma a acção de forma de responsabilidade social da empresa na área ambiental.


publicado por Carlos José Ferreira às 22:05
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 19 de Abril de 2009
Rotunda sem sentidos...ou melhor com sentidos proibidos

 

Todos nós nos questionamos por diversas vezes, sobre o destino dado aos nossos impostos. O facto é que muitas vezes não vimos qualquer obra que justifique os investimentos prometidos, quer pelo Governo central, quer pelas autarquias. Ou no caso de Alenquer, as obras, quando são feitas, são na sua maioria aberrações da natureza.
 
Vamos aos factos, em Paredes, Alenquer em frente as escolas e tendo como objectivo dar acesso ao novo complexo escolar ainda inaugurado em Fevereiro, pelo Sr. Primeiro-ministro e pelo Presidente da Câmara de Alenquer, foi construída uma rotunda, que daria acesso a uma segunda rotunda, digo daria, porque entretanto, houve uma esperteza saloia, que resolveu colocar o sinal de sentido proibido, no acesso ao complexo escolar de Paredes, e um outro no prolongamento da Av. Dr Teófilo carvalho Santos, como que se desloca para o acesso ao parque de pesados.
 
Assim sendo e para quem se desloca, a dita rotunda vindo do inicio da Av. Dr Teófilo carvalho Santos, a mesma só serve para efectuar inversão de marcha.
 
Mais, qual o interesse de colocar uma segunda rotunda a cerca de 10 metros da primeira com sinalética de aproximação de rotunda, se não podemos usar esse troço de 10 metros.
 
Mais uma questão, será que Alenquer é uma ilha, deixo a questão pelo seguinte, pois só assim se justificaria a colocação da sinalética a esquerda. Mas como em Alenquer já nada nos pode surpreende,.. é apenas mais uma obra do nosso presidente...pena é que o homem não se possa recandidatar, pois de certeza que haveria de ficar por lá muitos mais anos.
 
Pois ao longo de trinta e tantos anos sempre fez obras iguais as, da rotunda do complexo escolar das Paredes.



publicado por Carlos José Ferreira às 22:22
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


posts recentes

...

Alenquer sera a primeira...

Via de Cintura de Alenque...

Desperdício de Agua em Al...

Obras sem dono, em Alenqu...

DEM, Dispositivo electrón...

Obra de Santa Engrácia In...

Eleições autárquicas inte...

Eleições em Alenquer

Em terra de cegos quem te...

arquivos

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Dezembro 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Dezembro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds